Luxação Recidivante dos Ombros

É o deslocamento repetitivo ou a perda recorrente do encaixe da articulação principal do ombro, a articulação glenoumeral. Pode ser causada por um trauma ou por frouxidão de seus ligamentos e pode ser anterior, posterior ou multidimensional.

Um deslocamento articular é grave!

O ombro ou qualquer articulação deslocada é uma situação de emergência! Medidas de emergência devem ser tomadas para que a articulação seja recolocada em seu devido lugar.

A estabilidade da articulação do ombro é dependente de seus ligamentos e músculos.

O ombro possui estabilidade pelo equilíbrio entre os seus ligamentos e entre os seus músculos.

Os ligamentos só estabilizam o ombro nos finais de cada movimento. Se esses excederem os seus limites os ligamentos podem se romper e o ombro sair do lugar.

No caso de uma luxação traumática, um movimento de arremesso, por exemplo, no caso de jogar uma pedra. O braço ao faz o movimento de “chicote”, ao atingir a rotação máxima o ligamento não o sustenta e se rompe acontecendo a luxação.

O deslocamento ou luxação do ombro pode causar lesões ósseas da cabeça do úmero e da glenoide, lesões essas que podem ser irreversíveis.

As lesões de cartilagem e do osso que acontecem em decorrência das luxações podem levar à artrose do ombro.

Para se fazer o diagnóstico correto e saber qual é o tipo de instabilidade é necessário realizar um exame de artro-ressonância magnética do ombro, que é a ressonância com contraste aplicado dentro da articulação.

É de fundamental importância que a estabilidade se restabeleça para que o ombro pare de deslocar, aliviando as dores e impedindo o agravamento e as sequelas maiores.

Comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.