As rupturas dos tendões do manguito rotador dos ombros afetam o seu funcionamento provocando dores e limitação funcional.  

É a perda da continuidade, parcial ou completa, das fibras de um ou mais tendões que se localizam no ombro e que têm a função de promover a estabilidade da cabeça do úmero para que os movimentos dos braços aconteçam. O Manguito Rotador é formado por quatro músculos posicionados estrategicamente em volta da cabeça do úmero para conseguir que o braço tenha maior mobilidade. A parte dos músculos que geralmente se rompem é a região conhecida como tendão.

Como as rupturas do Manguito Rotador afetam o funcionamento do ombro?

O funcionamento do ombro é afetado pela perda da congruência articular proveniente do desequilíbrio provocado pela ruptura de um ou mais dos tendões do seu Manguito Rotador. Sempre que acontece desequilíbrio muscular o funcionamento do ombro afetado fica comprometido. Ao perder um músculo, os outros músculos do ombro acometido têm dificuldade de realizar as tarefas que naturalmente eram realizadas em conjunto e a função competente ao que se rompeu passa a ser inexistente. A partir daí uma série de problemas para o ombro podem acontecer, como: a reincidência de informações, dores e disfunção do braço acometido.

Como acontece a ruptura do Manguito Rotador do ombro?

Os tendões do Manguito Rotador podem ser lesionados por degenerações ou por traumas. Até mesmo em seus movimentos naturais de levantar e abaixar os braços, tanto para a frente como para os lados, realizados de forma repetitiva podem provocar lesões nos tendões. O mecanismo de ruptura por traumas acontece, por exemplo, em uma queda com a mão espalmada. Ao apoiar a mão no chão todo o peso do corpo pode sobrecarregar o braço de apoio e causar ruptura dos tendões do Manguito Rotador.

Os motivos da ruptura do Manguito Rotador

O formato do ombro é o principal motivo da ocorrência de impacto entre as suas próprias estruturas ósseas durante os seus movimentos, das degenerações, do enfraquecimento dos tendões e das rupturas. A cabeça do úmero se choca, durante o abrir ou o levantar dos braços, ou seja, ela encosta no acromio ou no coracoide e, esse atrito ósseo provoca pinçamento dos tendões do Manguito Rotador causando inflamações, degenerações e criando pontos fracos junto à inserção dos tendões, o que contribui para ocorrência de rupturas, até sem acontecer nenhum trauma.

O comprometimento da força do ombro é variável a depender do tamanho da lesão.

Sem o Manguito a cabeça do úmero fica instável, o ombro perde força de elevação do braço e de rotação.

A estimativa é que 50% das pessoas acima de 60 anos de idade possuam algum grau de ruptura do Manguito Rotador.

O Manguito Rotador é composto por quatro músculos: o subescapular (anterior), o supraespinhal (superior) e 02 posteriores (infraespinhal e redondo menor). A ruptura parcial ou total dos tendões é o estágio III da Síndrome do Impacto do ombro.

O TRATAMENTO

Reinserir o tendão faz o músculo trabalhar novamente e o trabalho do Manguito Rotador do ombro melhorar.

O tendão reinserido pode cicatrizar novamente junto ao osso e retornar ao seu trabalho, que é o de promover os movimentos. Após cicatrizado, faz se necessário o trabalho de recuperação de movimentos, de força e de propriocepção para o retorno do equilíbrio muscular do ombro. Sem o seu trabalho o músculo tem redução de volume e, caso não seja reinserido, a atrofia evolui até à sua total transformação gordurosa. Recompondo a anatomia e tornando o ombro o mais próximo do normal, teoricamente, dá a possibilidade de melhora da função e do quadro doloroso.

ARTROSCOPIA

Comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.